III Peregrinação Nacional das Escolas Católicas a Fátima - Sessão Cultural

III Peregrinação Nacional das Escolas Católicas a Fátima

Posted on Posted in Notícias

Pela Arte até Maria

Realizou-se em Fátima, no dia 21 de outubro de 2016, a III Peregrinação Nacional das Escolas Católicas, que reuniu mais de 7.000 alunos de 35 escolas católicas de todo o país. Neste espaço de culto e de cultura, a participação das escolas, dos educadores e dos jovens demonstrou bem a vitalidade e a criatividade dos nossos projetos educativos. Para além de promover o aprofundamento dos níveis de consciência da nossa realidade educativa, esta participação alargada ajudou a construir a comunhão.

  À semelhança de outras escolas católicas, o Colégio de Nossa Senhora da Assunção rumou a Fátima, num grupo de seiscentos participantes, para beber deste espírito da escola de Maria, para se encher de coragem e de esperança e dar o seu melhor, a fim de que a nossa comunidade educativa seja réplica desta escola exemplar e contagie as Famílias e o mundo da Educação com este clima de harmonia, sabedoria e graça.

Alternando momentos de culto (de manhã) e de cultura (de tarde), este encontro proporcionou-nos parar, rezar, recuperar ânimo, à procura deste acontecimento onde a bondade de Deus vem ao nosso encontro pela figura da Mãe de Jesus.

Maria disse “sim” ao projeto de Deus permitindo assim, que ELE se tornasse visível, no seu SER, algo que deve repetir-se na vida de cada um de nós. Esta atitude potenciará o nosso respeito pela dignidade de cada pessoa e a responsabilidade de construirmos juntos, o bem comum.

O Colégio Nossa Senhora da Assunção é, por excelência, uma escola de Maria que tem S. José como padroeiro, pelo que, educar para um coração maior, é também, educar para a interioridade que nos abre ao Evangelho de Jesus e à descoberta da Vontade de Deus sobre nós. Foi assim que a nossa fundadora, Ana Maria Javouhey, sonhou a educação!

Assim, o nosso colégio, nesta sessão cultural das escolas católicas, levou ao palco, do auditório  Paulo VI, “Maria, mãe de ternura”, um pequeno espetáculo que contemplava elementos históricos, simbólicos e religiosos sobre a dimensão afetiva e relacional de Nossa Senhora. Foi um momento ímpar, onde a expressão do olhar de cada participante dispensou qualquer palavra para dizer que, ali, todos se sentiam caminhantes e peregrinos. A criatividade e a ousadia testemunharam inequivocamente a identidade da nossa escola, fundada e centrada em Jesus Cristo, pois é Nele que encontramos o paradigma para a nossa intervenção pedagógica.

O caminho que temos de percorrer é, certamente, difícil, mas a fidelidade ao que somos exige que o façamos com coragem e esperança.

 Deus há de levar a bom termo aquilo que já está começado, em nós, na vida dos outros e na vida do Mundo. Que o Pai misericordioso nos ajude a olhar com os olhos cheios de amor e a levar a todos os que se cruzam connosco a paz, a força, a sabedoria, a serenidade, a confiança e o perdão de um Coração Maior.

Elvira Marques Santiago